qui, 18 de fevereiro

Em parceria com a SHRM, ABRH inicia processo de certificação do RH brasileiro

ABRH BRASIL  Está confirmado: a ABRH-Brasil fechou a primeira turma do curso preparatório para a certificação dos profissionais de Recursos Humanos. Ainda no primeiro semestre, os participantes farão a prova para serem certificados e a associação já se prepara para formar a segunda turma, cujo curso terá início no próximo semestre.

“Podemos dizer que, para a ABRH, esse é um sonho realizado. A certificação tem sido demandada já há algum tempo pelas empresas e pelos próprios profissionais da área. Não podemos ficar isolados do mundo, está mais que na hora de termos algum instrumento que contribua para a carreira do profissional de RH, fornecendo parâmetros internacionais de comparação em relação ao seu conhecimento e expertise na área. A certificação será fundamental nessas questões”, diz Elaine Saad, presidente da ABRH-Brasil.

Ela conta que a intenção de criar a certificação já existia há algum tempo, mas, a partir de 2010, na gestão de Leyla Nascimento, a associação passou a avaliar de forma mais efetiva as alternativas disponíveis e a buscar o formato mais adequado para o Brasil, criando, inclusive, uma diretoria para tratar do assunto. “Estudamos ter uma certificação própria. Ao final, optamos por reunir a experiência de uma entidade estrangeira no assunto e a oportunidade de os certificados terem reconhecimento além das nossas fronteiras.”

Tanto o curso preparatório quanto a certificação hoje oferecidos pela associação vêm de uma parceria firmada em 2014 com a SHRM – Society for Human Resource Management, entidade norte-americana de maior expressão mundial na área de RH.

Os brasileiros poderão obter dois tipos de certificação: SHRM-CP, para média gerência; e SHRM-SCP, voltada a executivos de alta gerência de RH.

“Foram três anos de negociações até que assinássemos a parceria para oferecer uma certificação com alto nível de excelência. Hoje, é um orgulho ver a implantação de todo o projeto pela nova gestão da ABRH”, relata Leyla, que presidiu a associação de 2010 a 2015.

Na sua dela, a ABRH-Brasil está dando um salto importante para o desenvolvimento e reconhecimento das competências dos profissionais de RH. “A certificação tem sido um pré-requisito para atuar em organizações conectadas globalmente com o mundo dos negócios.”

Sem mitos

Muitos profissionais acreditam que a certificação só se aplica a quem atua em multinacionais ou empresas que fazem negócios no exterior. Andrea Huggard-Caine, diretora de Certificação da ABRH-Brasil, diz que é preciso desmistificar algumas crenças nessa área.

As certificações foram desenvolvidas para medir com precisão o conhecimento técnico dos profissionais em temas como remuneração, Treinamento e Desenvolvimento e Recrutamento e Seleção, e as competências comportamentais do RH de outros países. “Essas competências foram definidas a partir de uma pesquisa realizada no mundo inteiro, inclusive com a participação da ABRH”, lembra. Esse mapeamento resultou em perguntas, por exemplo, sobre as habilidades em utilizar tecnologias para avaliar informações, representar os interesses da empresa nas relações com os sindicatos e aconselhar gestores diante de questões que envolvam conduta ética.

Em janeiro, a convite da SHRM, Andrea esteve nos Estados Unidos para integrar a banca responsável pelas questões das provas. Em sua formação, o grupo, composto por 50 profissionais, contou com alguns consultores e, majoritariamente, com RHs corporativos, 25% do total oriundo de outras regiões do mundo, como Oriente Médio, África, Ásia e América Latina. Ainda, os integrantes da banca têm experiência profissional em empresas pequenas, médias, grandes ou multinacionais, dos setores público e privado e de diferentes segmentos de negócios.

“Para dar uma ideia do nível da diversidade a fim de garantir a aplicabilidade das questões em âmbito global, um dos componentes do grupo atuou no sistema prisional”, exemplifica a diretora.

Elaine, que assumiu a presidência da ABRH-Brasil em janeiro, vê na certificação uma ferramenta que reforça o papel da associação e vai estimular o RH a sair da zona de conforto.

“O mote da gestão 2016-2018 é Influência e Ação. Nesse sentido, com a certificação, nossas expectativas são de que o nosso RH receba feedbacks efetivos em relação ao seu nível de conhecimento profissional e possa buscar crescimento baseando-se em padrões internacionais ”, finaliza.

Por ABRH Brasil – 18/02/2016