sex, 08 de janeiro

Contracheques fora da empresa

PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGÓCIOS – Há quem acredite que, para preparar a folha de pagamento de uma empresa, basta pegar os valores brutos dos salários, subtrair descontos e depositar a diferença na conta do funcionário. Mas a tarefa não é tão simples. O responsável pelo serviço deve se manter atualizado em relação à legislação trabalhista e dominar cálculos que envolvem benefícios, férias, 13º salário, comissões, horas extras, afastamentos. Muitas vezes o trabalho requer o uso de software específico, que deve ser atualizado constantemente.

O empresário que não quer manter uma estrutura própria e, ao mesmo tempo, deseja um serviço eficiente, tem como opção terceirizar a folha de pagamento. Para isso pode recorrer a escritórios que atuam nas áreas de contabilidade e de recursos humanos.

Melhor e mais barato

A alternativa foi adotada pela Nippon, fábrica de máquinas localizada em Barueri, na Grande São Paulo. Fundada em 1970, a empresa decidiu deixar, desde 2001, a sua folha de pagamento por conta da Trade Consultoria. Com 32 empregados, a Nippon paga mensalmente à Trade R$ 2.000, dos quais R$ 800 referentes à elaboração da folha e o restante por serviços de contabilidade. A decisão trouxe economia nos gastos, diz Geni Quintino, diretora administrativa e comercial da Nippon. Em vez de um assistente com salário de R$ 2.000 (em valores atuais), com a terceirização, a Nippon passou a contar com um auxiliar do departamento de pessoal que ganha R$ 1.000 por mês.

Até na homologação

Mesmo com a folha de pagamento sob a responsabilidade de um parceiro confiável, é recomendável ter um funcionário que mantenha contato com esse fornecedor e supervisione os serviços prestados, a exemplo do que acontece na Nippon. O auxiliar do departamento de pessoal da empresa envia para a Trade, a cada 15 dias, todos os apontamentos referentes à área de recursos humanos. A consultoria, por sua vez, prepara uma planilha com os rendimentos e descontos de cada funcionário, imprime os contracheques e manda-os para a Nippon. Em caso de demissão, um representante da Trade acompanha o ex-empregado da Nippon à homologação.

Contrato bem elaborado

O leque de serviços oferecidos deve pesar na seleção do escritório que fará a folha. Quanto mais facilidades incluídas no pacote, melhor. Mas é ideal que a empresa escolha um fornecedor que já atenda clientes no seu ramo de atividade e, portanto, conheça as especificidades da categoria, de acordo com Andrea Huggard-Caine, sócia da HuggardCaine Consultoria e Gestão de RH.

Um contrato bem elaborado é a chave da terceirização. Andrea recomenda que o documento contenha uma cláusula referente a possíveis erros por parte do prestador de serviço. “Se o escritório cometer falhas nos cálculos da folha que resultem em multas para o cliente, deve ressarci-lo.

Da Redação, Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios