seg, 19 de março

Sobrevivendo na complexidade: Excesso de informação pode paralisar você. Como lidar com isso?

O fácil acesso à informação aliado ao excesso dela nos trouxe muitos benefícios. Mas, em contrapartida nos colocou numa sinuca de bico: vivemos em constante estado de insegurança e de ansiedade.

Se você parar para pensar, considerando que sua estrada profissional já tenha certo tempo, não faz muito que tomávamos decisões com bem pouca informação disponível, às vezes até incompletas. Nosso poder de julgamento falava mais alto.

De repente, nos deparamos com um universo infinito de informações disponíveis, que se expande e muda cada vez mais rápido. E ficamos viciados e dependentes da informação instantânea, porque não podemos deixar nada passar, certo? Como se o simples fato de estarmos conectados o tempo todo fosse suficiente para nos tornamos atualizados sobre tudo o que acontece – tudo mesmo – e tomar o controle das coisas ou errar menos.

Com tanta velocidade e quantidade de dados para analisar, interpretar e escolher – o que deveria facilitar nossa vida –, tomar decisões acertadas no tempo em que nos é exigido se tornou uma tarefa árdua para muitos de nós, provocando angústia.

E, como se não bastasse, o mesmo acesso que você tem a uma informação, os outros também possuem. O que significa que todos têm a capacidade de analisar as mesmas coisas que você, permitindo que se faça julgamentos sobre a qualidade da sua decisão. Então, ficou mais fácil e rápido identificar e expor erros – e responsabilizar diretamente quem os cometeu.

Todo esse cenário cria uma pressão no processo decisório e ajuda a incentivar o que chamamos de síndrome da angústia com mudanças.

O resultado é que muitos ficam sem apetite para arriscar coisas novas quando enxergam o risco de serem penalizados pelas consequências. A resistência à mudança e os mecanismos de proteção se instauram. É a paralisia provocada pelo excesso de informação.

 

Evite esse ciclo paralisante

  • Não se deixe levar pelo excesso de informação. Confie em seu conhecimento acumulado. Isso não significa deixar de se atualizar, porque temos a obrigação de estarmos antenados em nossas áreas de atuação. Só não deixe que esse processo paralise você, disperse seu foco.
  • Admita que você não sabe de tudo, e nunca saberá. Informação não é conhecimento, não se engane.
  • Para aquilo que você tem dúvida ou não conhece, procure ajuda, consulte um especialista. Mas, lembre-se: especialistas também erram. Por isso, use esse apoio como uma orientação de quem sabe mais do que você, e não como uma verdade absoluta.  Em contrapartida, você terá sempre a oportunidade de se tornar especialista em algum assunto e, então, ser procurado por outras pessoas.

Neste primeiro texto da série, abordamos como a era da informação imediatista afeta principalmente a sua atuação profissional como indivíduo e o que fazer para não se deixar levar por isso.

No próximo post, vamos falar sobre a burocracia criada nas empresas a partir desse cenário. Até lá!

 

[foto: freepik.com]